Bemdito

Poderia eu escrever crônicas não femininas?

Para as mulheres, escrever é antes de tudo uma afirmação de existência e uma forma poderosa de resistir

Ô saudade de viajar!

Uma crônica sobre a saudade de ir para longe e caminhar sem medo e sem destino

A aventura diária de não soltar as mãos da vida

Detalhe de tela da artista visual carioca Katia Wille

Reflexões sobre a palavra, o corpo e as pequenas distrações que os envolvem

Efêmeros possíveis (ou possíveis efêmeros)

(Foto: Alice Dote)

As possibilidades de uma cidade a partir de seus desequilíbrios, dobras e bifurcações

O esqueleto calcário dos corais

Foto: Georgette Douwma / Getty Images

O que de fato se perde quando a relação chega ao fim?

Você tem medo de quê?

Cena do filme "Onde vivem os monstros"

Para Lis, que enxerga no escuro, uma reflexão sobre medo e liberdade

Réquiem para a Mercearia São Pedro

Fonte: Divulgação

O anúncio de fechamento da academia brasileira das letras bêbadas deixa órfãos em todas as artes

Por que escrevo esta coluna para vocês?

Foto: Reprodução

Ser feminista não é sobre as minhas feridas, mas sobre as nossas: das brasileiras às afegãs

WhatsApperização da vida

Ilustração: Nastya Ptichek (da pintura Summer Evening, Edward Hopper)

Ou como transformar limão em limonada

Aprendi mais com uma queda do que no jantar do Atala

Ilustração: Alice in Wonderland (1951), de Mary Blair

Quando é preciso quebrar a cara para entender a importância de se desconectar, sair do automático, respirar, ouvir